1

Leo ou Helena?

Pois é, Pacotinho. Amanhã é dia de ultra – meio a contragosto, vamos lá, mas pro seu pai é importante saber que você é um menino ou uma menina. Nosso Leonardo ou nossa Helena.

E sabe qual é a questão? Ansiedade é contagiosa. Desde ontem fico pensando no exame, se você vai colaborar, se a médica vai conseguir ter 100% de certeza (é, porque seus pais são cricas, já vai se acostumando: só queremos saber se for certeza absoluta, nada de possibilidades). Eu, que nem queria saber o sexo.

Já fico imaginando como serão nossas fotos de gender reveal (sim, porque você precisa se mostrar amanhã, mas eu e seu pai só vamos ficar sabendo quando fizermos as fotos). Fico pensando em como contar pras avós (sua avó paterna jura de pés juntos que a gente já sabe e tá só enrolando todo mundo).

Não tenho aquele desespero pra ~começar o enxoval rosa ou azul~. Porque você, Pacotinho, vai usar rosa e azul. Vai brincar de boneca e de carrinho. Vai limpar a casa com a mamãe e o papai. Seu quarto já estava decidido muito antes de qualquer coisa – cinza, branco e amarelo. Você vai ter amor, independente do cromossomo que papai te passou.

Mas se você quiser colaborar e se mostrar amanhã, a gente não liga, viu? Mamãe promete te proteger de todas as piadas infames e machistas (seja você um Leo ou uma Helena). E prometo continuar te apertando, cantando e amando, a cada dia mais.

0

14 semanas

Há 10 semanas (e poucos dias) eu tenho a certeza de que você mora aqui dentro. Segundo incontáveis aplicativos, você é do tamanho de um limão siciliano e já tem cabelos. “Credo, eu tenho cabelos dentro da barriga” – esse seria o primeiro pensamento de qualquer um. Menos da grávida. A grávida (eu, no caso) se emociona com cada conquista sua, Pacotinho. Com cada achievement unlocked. Com cada marco – hoje, por exemplo, entramos oficialmente no segundo trimestre. O trimestre da tranquilidade.

Seu coração já bate forte há algum tempo. E agora temos a certeza de que está tudo no lugar – TN normal, ducto venoso funcionando direitinho, (micro) ossos formados, placenta te sustentando e protegendo. Na última ultra, percebi que você puxou sua mãe: adora dormir de bruços. Vai aproveitando por mim, Pacotinho, porque há algumas semanas eu já não consigo mais.

Se coloco uma blusa justinha (e faço pose de grávida, confesso), já dá pra perceber você ali. Sua avó até chorou esses dias, ao ver uma foto nossa em que eu estava sem blusa, acredita? É porque você já é amado demais, Pacotinho.

Você é meio tímido, que eu sei. Não quis se mostrar no último exame – e alguns dizem que isso é influência minha, já que eu não queria saber o seu sexo antes do nascimento. Eu acho que não é isso – e sim você sabendo que, independente do que tiver no meio das pernas, será amado. Será feliz.

Quando penso em você aqui dentro, não tem como não colocar a mão na barriga. Não tem como não imaginar que você sente o meu toque. E quando eu estou triste, por qualquer motivo que seja, quero que pelo meu toque você saiba que vai ficar tudo bem. Que a gente sofre um bocado nesse mundo, sim, mas que vale a pena – porque a gente tem amor. E isso eu prometo, Pacotinho: você vai ter de sobra.

Mamãe te ama de um jeito que até dói o coração, sabe? E estou louca pra te ver, te cheirar, te pegar no colo (e te dar umas mordidinhas, que eu sou sua mãe e você não discuta comigo). Mas, por outro, lado quero que tudo passe devagar – hoje me peguei pensando em “como assim JÁ 14 semanas?”. Aqui dentro eu sinto que posso te proteger do mundo, uma sensação de “Mamãe Maravilha”. Então curte essa proteção extra enquanto você pode, viu? E saiba que, quando chegar a sua hora, eu (e mais um monte de gente que te ama) estaremos fazendo fila aqui do lado de fora pra te abraçar. Mas lembre que mamãe é sempre prioridade, combinado?