4

Ciclo 3, 13DPO

Feliz Natal atrasado dessa blogueira relapsa, e um 2015 lindo, feliz e fértil!

Andei sumida. Perdi BC, deixei de visitar e comentar os blogs das amigas, dei um tempo no Meu Pacotinho. No blog, eu quis dizer – a correria foi intensa no final do ano, mas as tentativas, desejos e pensamentos continuaram firmes e fortes. Lá no Tentantes Empoderadas eu apareci mais, principalmente nesses últimos dias. Deixei algumas meninas ansiosas junto comigo!

Desde o Natal me sinto pesada, a comida não cai legal, o sono é absurdo. Sintomas? Não sei. Acredito que não – muito cedo, e a rotina interrompida contribui para isso. Mas me sinto grávida: a TB está lá em cima (inclusive, nos outros ciclos, a essa altura já tinha começado a cair). Ainda não testei – acho cedo, tenho medo de uma GQ, tenho receio de um negativo. Mesmo tendo a sensação de que é um positivo.

Essa sensação é reforçada por cada análise do meu gráfico, e pelas comparações que faço no Fertility Friend. Hoje, por exemplo, pedi para ver gráficos com o mesmo padrão de temperaturas pós-ovulação, idade e meses de tentativas. O resultado? “100% pregnancy”. ME SEGURA ME ABANA

Minha fase lútea dura 15 dias – então temos mais o final de semana pela frente. Se vou aguentar até segunda-feira para testar? Eu não apostaria nem que sim, nem que não. Tem horas em que eu penso que, se amanhã a TB permanecer alta, eu testo. Em outros momentos, acho que é melhor esperar o 16DPO. E aí?

Advertisements
12

Meu mundo ficaria completo (Ciclo 2, 11DPO)

Para ler ouvindo essa música aqui.

“Não é porque eu sei que ela não virá que eu não veja a porta já se abrindo
E que eu não queira tê-la, mesmo que não tenha a mínima lógica nesse raciocínio
Não é que eu esteja procurando no infinito a sorte para andar comigo
Se a fé remove até montanhas, o desejo é o que torna o irreal possível
Não é por isso que eu não possa estar feliz, sorrindo e cantando

Hoje o dia amanheceu cinzento, mas dentro de mim super colorido. 11DPO, mais um upzinho na temperatura basal, aniversário do homem da minha vida. E o bichinho do teste no meu ombro, zumbindo no meu ouvido, conjecturando o quão legal seria me descobrir grávida hoje e contar para o marido como presente de aniversário. E claro, aquelas duas caixinhas de teste guardadas na penteadeira parecendo que brilhavam de tão chamativas.

Levanto. Corro no banheiro. Já tomei mais de um litro de água. “Pronto, a primeira do dia foi, estou tomando muito líquido, então vai diluir ainda mais, não é hora de testar, se controle”. Corro pro Google pra conferir a sensibilidade dos testes que estão aqui. “Olha só, não são tão sensíveis, você precisa esperar o atraso, você prometeu isso pra você mesma. Sem desespero”.

Vou pro Facebook. Desabafo no Tentantes Empoderadas. Todo mundo sempre fala que é preciso esperar o atraso. Paro de ler histórias de testes feitos cedo. Fertility Friend acusa 50% de positivos feitos nessa data. “Páre de me azucrinar, aplicativo”.

Falo com a amiga tentante por inbox. Abro o coração. Ouço que é melhor esperar mesmo, mas que ela tem certeza de que tem um bebê aqui no forninho. Começo a acreditar – apesar de não saber bem ao certo se me sinto grávida ou se é o desejo tão forte de ter meu mundo completo.

Prometo me jogar no trabalho pra esquecer do tema. Não dá. Venho pro blog colocar pra fora um pouco dessa angústia da fase lútea.

Me pego pensando que as chances de um negativo são altíssimas, e que eu não preciso ficar de bico no dia do aniversário do marido. Que o melhor mesmo é esperar – a data prevista pra Miss Red é segunda, dia 08. Prometo que se na segunda-feira não vier, na terça cedo faço o teste.

Tenho vontade de chorar. Me sinto irritada, impaciente. Sintomas? Não. Só ansiedade mesmo.

7

Ciclo 2, DC1

É, ciclo 1 acabou – e por incrível que pareça, sem lágrimas nem desespero. Ok, uma TPM das bravas, mas sem a tristeza que eu imaginava que iria aparecer. No fundo, no fundo, as chances de ter rolado concepção no primeiro ciclo eram baixíssimas – teve antibiótico, teve estresse alto, teve viagem, teve de tudo pra desregular o ciclo e as tentativas. Mas sempre fica a esperança daquele 1%, né?

Mas eu encarei a Miss Red com outros olhos. Encarei como li num post da Nana (sim, eu devorei o blog dela inteirinho): ela significa um novo começo. Significa que as coisas estão funcionando direitinho por aqui. Significa que o meu corpo está mandando embora resquícios da pílula, toxinas de medicamentos, enfim, tudo aquilo que não seria bom para o pacotinho.

Sobre a Temperatura Basal, resolvi encarar de frente também. Desde sábado medindo direitinho, fazendo anotações no Fertility Friend, devorando as lições que eles disponibilizam. Se vai servir pra algo? Já serve: pra eu conhecer melhor meu corpo.

Inclusive esse final de semana eu tive que me segurar em duas situações pra não começar a falar sobre ciclos, fase lútea e etc. A primeira foi quando uma amiga comentou que esses dias ficou desesperada porque a menstruação atrasou X dias. Eu fui começar a falar que “mas veja bem, atrasou mesmo? Porque você sabe exatamente quando você ovula? Sabe que a tua fase lútea pode durar de 10 a 16 dias?” aí lembrei que 1) não contamos que estamos tentando, então seria meio estranho divulgar essa informação e 2) ela não me perguntou nada.

A segunda situação foi uma brincadeira (sim, porque apesar da gente não ter contado das tentativas, todo mundo – TODO MUNDO – fica “quando vem o filho?”, “vocês precisam de um bebê”, “Nina, vocês amam crianças, cadê o de vocês?” e etc) em que falaram pro marido que ele deveria ficar de olho na tabelinha para saber os dias em que, hm, o treino deveria ser intenso. E essa foi bem mais quase do que a situação anterior. Eu comecei a falar que “mas tabelinha por si só não quer dizer nada, tem que medir a temperatura basal e ver o muco” e a sorte foi que parei no “mas tabelinha”. Juro. Como é que vou explicar pra um bando de conhecidos que não, sou sou surtada, só quero conhecer meu corpo de verdade?

Então seguimos nessa. Mede TB, anota no aplicativo, toca a vida. E sim, é claro que rola uma esperançazinha de que seja nesse ciclo. Mas o que eu posso fazer além de tentar? Hihihi. Isso a gente já faria de qualquer jeito, né?