Relato da gravidez: 22 semanas

Mais um marco no calendário! Segundo os aplicativos de gravidez, Helena já tem o tamanho de uma cenoura – mas as medidas mesmo vamos confirmar na semana que vem, quando fazemos a morfológica do segundo tri.

Esse final de semana a mocinha resolveu brincar com meu diafragma. No sábado a noite eu realmente achei que iria ter um piripaque de dor – começou como um incômodo no estômago, e em minutos eu não conseguia respirar direito de tanta dor. Ai fui caminhar um tico, alonguei e passou. Certeza que tinha gente brincando de se esticar aqui dentro, rs! Imagina quando ela estiver maior? Socorro.

Dia das mães correu tudo bem. Ganhei presente da pequena (a Naked 3, paleta linda linda linda) e aproveitei o dia chuvoso para dormir a tarde toda. A data ganha toda uma outra dimensão, né? Começo a entender um pouco da responsabilidade que a minha mãe teve e tem até hoje… Parece que com a gravidez, nossa perspectiva muda. Amo minha mãe mais do que nunca!

E nunca, nunca, nunca subestimem o poder de (in)decisão de uma grávida. Nos últimos dias, resolvi me jogar no planejamento do quarto. O que até então era branco+cinza+amarelo caiu por terra: me frustrei na viagem do enxoval ao perceber que ou é rosa, ou é azul. Existem outras cores no mundo, viu, gente? Mas enfim… Alguns itens vieram no pink – capas de almofada de amamentação, um jogo de lençol… – e a maioria no cinza. Então encasquetei que vou trocar o amarelo por toques bem sutis de pink (morrendo de medo do quarto ficar “menininha” demais). Só que as paredes aqui de casa são num cremezinho bem suave – mas com fundo amarelado. E na minha cabeça não combina. Resultado? Amostras de tinta cinza compradas, acho que essa semana definimos a cor e se tudo der certo (e o clima colaborar), na próxima começamos a pintar as paredes!

Comecei a escrever meu plano de parto. A escolha, aqui, é por um parto natural humanizado – e na última semana tive um relato não muito legal da maternidade que havíamos escolhido, principalmente na questão dos procedimentos com o recém-nascido. Pesquisei bastante, conversei com outras meninas que tiveram seus bebês lá e resolvi começar a rascunhar meu plano desde já. A decisão pela maternidade ainda é um capítulo a parte, porém marido já está “entrando na dança” comigo. Meu maior receio, hoje, não é sobre procedimentos em mim (até porque escolhi meu GO a dedo pensando nisso), mas sim com a Helena. De nada adianta eu batalhar por um parto humanizado se, a partir do momento que cortarem o cordão umbilical, ela ser recebida “na linha de produção”, né? Confesso que isso me tira o sono – e PD não é uma opção, mais por conta do maridão mesmo. O negócio é buscar o empoderamento, empoderar o marido (que já tá sabendo que vai precisar negociar com a equipe e talvez bater o pé em algumas questões) e, talvez, buscar um pediatra humanizado para a sala de parto.

Ah, yoga para gestantes é tudo de bom! Na segunda-feira, pra vocês terem ideia, tive um final de tarde daqueles – quase não fui. Mas durante aquela horinha preciosa, consegui me acalmar, alongar, sentir músculos que eu nem lembrava que existiam (e que dão o “ar da graça” até hoje, hehe), me conectar com a Helena. Enfim, super recomendo! Hoje tem aula novamente, e confesso que estou contando as horas pra chegar lá.

Um último sintoma? O furacão de hormônios voltou – e inclusive é por isso que o post entra hoje, na quarta, e não ontem. Caio no choro sem motivo (e choro triste, sentido, compulsivo – nada daquelas lágrimas emocionadas de comercial de Dia das Mães) – aí me sinto culpada por estar triste enquanto vivo a maior bênção já sonhada. Troféu ~menas mãe~, confere? E choro mais. Porque acho horroroso me sentir assim. E vira uma bola de neve. Acabo que me fecho no meu casulo, já que qualquer brisa vira vendaval – inclusive para me proteger e proteger outras pessoas. Não está fácil, rs! Coitado do marido que não tem pra onde fugir (e nem pode, afinal, 50% da responsabilidade também é dele). Mas, já aprendi: isso – também – vai passar.

PS: Já curtiram a fanpage do blog? Tenho compartilhado por lá algumas coisas fofas relacionadas à maternidade (pega um lencinho antes de assistir aos vídeos, vai) e outros links interessantes. A caixinha para curtir direto a fanpage está aqui na barra lateral >>>

Advertisements

6 thoughts on “Relato da gravidez: 22 semanas

    • =)
      Também acho que vai ficar um xuxu, hehehe! Espero que a mocinha aqui goste do quartinho que vamos preparar para ela ❤
      Um beijo e obrigada pela visita!

      Like

    • É verdade, Kátia. Mas acho que cabe a nós, mães, irmos mudando isso na cabeça dos nossos pequenos, né? Quem sabe estamos a poucas gerações de ver as cores como elas são – apenas cores? #utopias
      Aqui tem rolado altos papos com Pacotinho. E a tendência é, com o crescimento dela, só “piorar”, hehe! Muitas vezes o esquema é levantar, alongar, “abrir o peitoral” e respirar lento e profundo.
      Um beijo e obrigada pela visita!

      Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s